terça-feira, 2 de junho de 2009

Eleições presidenciais devem definir local de abertura do Mundial

Por: Rafael Zito
No domingo foram anunciadas as 12 cidades que irão receber os jogos da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil. A divulgação foi feita em Nassau, nas Bahamas, pelo presidente da FIFA, Joseph Blatter, acompanhando do presidente da CBF, Ricardo Teixeira. O teatro tinha tudo para ser perfeito e foi muito bem montado pelo mandatário da entidade que rege o futebol brasileiro. No entanto, a lista divulgada com antecedência pela imprensa brasileira fez com que todo o protocolo de domingo virasse um circo, uma palhaçada sem graça alguma.

A informação foi divulgada na sexta-feira no blog do jornalista Ancelmo Gois, texto enviado pelo também jornalista Aydano André Motta. O texto divulgava com dois dia antecedência as 12 cidades que seriam agraciadas com o prêmio de receber jogos da Copa do Mundo de 2014. Eu me pergunto: como é que já se sabiam quais seriam as cidades escolhidas antes do anúncio oficial? Não era a FIFA que ia decidir? Se era a FIFA como é que isso vazou aqui no Brasil? Desculpem-me, mas Ricardo Teixeira e seus parceiros não me enganam. Está mais do que na cara que foi um jogo de cartas marcadas. Não queiram me dizer que a escolha foi técnica e que a FIFA que teve a voz de comando. A escolha foi política e para agradar parceiros do Sr. Teixeira.

E vocês acham que as decisões políticas acabaram? Ledo engano quem pensa isso. Posso estar enganado, mas a definição do município que irá receber o jogo de abertura do Mundial estará diretamente ligada ao futuro presidente da república. A situação política atual aponta para que José Serra ou Aécio Neves ganhe a eleição presidencial em 2010. Sem dúvida que São Paulo é favorita para receber a partida inaugural, por tudo que a cidade representa, no entanto, se o atual Governador de Minas Gerais se eleger presidente do Brasil tenho a certeza que a partida de abertura da Copa do Mundo será em Belo Horizonte, no Mineirão. Gostaria muito que o aspecto político não interferisse, porém, acreditar nisso é querer se enganar.

Para finalizar, deixo um alerta para a população de que nosso dinheiro será colocado em construção de estádio sim e não acreditem se determinado dirigente disser que não. Era sabido que Campo Grande tinha muito mais estrutura e condições para receber um evento como o Mundial, entretanto, as boas relações entre o mandatário da CBF e o Governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, fizeram com que a cidade de Cuiabá fosse eleita. JOGO POLÍTICO. Belém tem futebol profissional de alto rendimento, tem um estádio como o Mangueirão, porém, perdeu a disputa da chamada sede “amazônica” para Manaus. JOGO POLÍTICO. Não vamos nos iludir porque os critérios adotados para a definição passaram longe de serem técnicos.

Imagem:
Logo Oficial da Copa de 2014 - Divulgação

9 comentários:

Felipe Simi disse...

Zito,

É palhaçada mesmo. Nessa disputa São Paulo-BH, há muito mais interesses político-privados envolvidos do que nós, jornalistas, cidadãos e futuros espectadores da Copa podemos imaginar. Mais um truque do mágico dos mágicos do futebol brasileiro, ilmo. sr. Ricardo Teixiera.

Abraços e parabéns.

Bocha disse...

Son muchas y muy lindas las ciudades de alli. Estara muy bueno ese Mundial.

Saludos y te espero por el blog.

ABRAN CANCHA
www.abran-cancha.blogspot.com

Daniel Reiner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Reiner disse...

Como eu acredito que nem Serra nem Aécio vão ganhar as eleições de 2010, os critérios de Ricardo Teixeira serão outros. Como mineiro e amigo de Aécio, eu espero que ele decida por BH.

Bruno Zanette disse...

Além desses critérios políticos, tem, como vc frisou, a questão do orçamento dos estádios. Assim como foi o Pan, com certeza os valores vão superar em dez vezes mais o estipulado... Num dos países de maior corrupção do mundo, creio que uma Copa seja suicídio. Pra mim, é muita ilusão aqueles projetos de estádios no nordeste e em outras regiões... Como vão manter isso depois da Copa? Apesar de adorar e ser apaixonado por futebol, penso que o país poderia investir dinheiro em outros assuntos, a Copa do Mundo, seria um sonho muito distante, pra nós, brasileiros...

E mais; o futebol em nosso país só irá melhorar realmente (não que esteja mal) depois que o sr. Ricardo Teixeira deixar a presidência da CBF...

Persio Presotto disse...

pra vc ver como a coisa é nojenta, zito. abs, pp

Sabrina Machado disse...

"is-to é u-ma ver-go-nha"

Fred disse...

A respeito deste fato, deixo claro que concordo com o JOGO POLÍTICO. O país é movido pela economia do Estado de São Paulo, portanto, nós paulistanos e paulistas temos que valorizar nossa vantagem política. Por mais que não seja possível visualizar um lucro imediato, toda a cidade ganhará. Temos os principais veículos de comunicação e agências de publicidade do país. SOMOS O PÓLO! Quanto a lavagem de dinheiro que será feita, isso é inevitável! Tanto no governo LULA quanto no do provável presidente José Serra, lembrando que, a candidatura de Aécio Neves já está anulada. Ele será vice de Serra!!! Por ora, haverá negativas, mas, nos bastidores, o acerto foi concluído. Serra precisa de Minas a favor, já que é o segundo maior colégio eleitoral do país.

Isso fortalece o argumento do Rafael:

http://noticias.uol.com.br/politica/2009/06/03/ult5773u1332.jhtm

http://www1.folha.uol.com.br/folha/colunas/brasiliaonline/ult2307u566971.shtml

Grande abraço.

Freddye

Vitor Hugo Baqueta disse...

Interesses levianamente obscuros. Enquanto a briga pela adequação do estádio, no caso o Morumbi, ultrapassa os bastidores e os limites do aceitável, quem está rindo à toa é Belo Horizonte. E, claro, Aécio Neves. Um abraço a todos e parabéns pelo blog. Acessem também www.blogdobaqueta.blogspot.com

BlogBlogs.Com.Br