domingo, 29 de junho de 2008

Espanha x Alemanha: Duelos táticos

Por:Rafael Zito

Michael Ballack [13] fora da final? Neste sábado, no treino de reconhecimento do gramado Ernst-Happel-Stadion, em Vienna, na Áustria, o meio-campista e capitão da seleção alemã não treinou devido a problemas musculares. O que Joachim Low poderia fazer caso Ballack não possa atuar? A opção para manter o esquema seria Tim Borowski, outra possibilidade seria a escalação de Mario Gomez para fazer companhia para Miroslav Klose [11] no ataque. Mas, se fosse para apostar acredito que Ballack nao ficará fora dessa partida. Literalmente a cabeça pensante do meio-campo alemão.

Uma curiosidade acompanha as duas seleções que disputarão essa grande final. Tanto Espanha como Alemanha começaram jogando no esquema 4-4-2, com dois volantes, dois meias e dois atacantes, porém, por motivos diferentes a grande final deve ter as duas equipes atuando no 4-2-3-1. A Alemanha fez uma primeira fase difícil, complicada, com dificuldades para fazer o jogo fluir. No meio-campo com Frings [8] e Ballack como volantes, Podolski [20] pela esquerda e Schweinsteiger [7] pela direita, a bola não chegava com eficiência no ataque e o setor também não conseguia proteger a defesa.

Low percebeu as dificuldades e alterou o sistema quando foi enfrentar Portugal, nas quartas-de-final. O selecionador alemão retirou o atacante Mario Gomez e promoveu a entrada do meio-campista Hitzlsperger [15]. A partir desse momento, Low deixou Hitzlsperger e Rolfes (enquanto Frings se recuperava de lesão) como volantes à frente da defesa, Podolski, Ballack e Schweinsteiger, da esquerda para a direita formando uma linha de apoio ao atacante Klose. Ballack passou a ser o armador pelo centro e teve mais liberdade para chegar ao ataque e, além disso, deixou o meio-campo mais compacto e protegido.

Na Espanha, o técnico Luís Aragonés será forçado a alterar o sistema de jogo devido a lesão que o atacante David Villa sofreu na semifinal contra a Rússia. Com a melhor campanha da EURO 2008, a Espanha jogou a competição toda com Marcos Senna [19] e Xavi [8], como volantes, enquanto isso a responsabilidade pela criação das jogadas ficava com David Silva [21] pela esquerda e Iniesta [6] pela direita, com Villa e Fernando Torres [9] no ataque. Sou um dos críticos de Aragonés quanto ao fato de deixar Cesc Fabregas [10] no bando. No meu time ele atuaria na vaga de Xavi, já que é um jogador acostumado a jogar centralizado e como volante, começando as jogadas do Arsenal, da Inglaterra. Sem poder contar com Villa, Aragonés deve escalar Fabregas, mudança a Espanha do 4-4-2 para o 4-2-3-1.

Os espanhoís virão a campo com Marcos Senna e Xavi à frente da defesa, Silva, Fabregas e Iniesta, da esquerda para a direita, e Fernando Torres no ataque. Não há dúvidas que os esquemas são similares. Quais seriam as diferenças então? A Alemanha segue a estrutura do início ao fim da partida, já os espanhóis variam, principalmente, com Silva e Iniesta alterando de posição frequentemente. Apesar disso, vejo os alemães com mais chances porque conseguem penetrar na defesa adversária com maior facilidade, uma equipe mais vertical que a Espanha. Já os espanhóis têm como grande virtude o fato de girar a bola de um lado para o outro com facilidade, paciência e qualidade, mas, encontram dificuldades para conseguir furar defesas sólidas, igual aconteceu no empate por 0 a 0 diante da Itália, nas quartas-de-final.

Imagem:
Daniel Neves e Rafael Zito

7 comentários:

Lucas Renato disse...

Meu Deus, como você sabe tudo isso? Você não tá copiando o que a imprensa fala não né, por favor...

Como acredito que você tá falando isso devido a sua observação, o olho clínico como vc gosta de falar, só me resta dar os parabéns.

Eu de tátitca sou uma negação.
Abraços!

Thiago Fagnani disse...

Gosto de táticas, mas não tanto!!!

Mandou bem!!!

Felipe Simi disse...

Para quem não conhece, aí estão PVZ - "Paulo Vinícius Zito" - e sua prancheta!

Que beleza de análise, Rafael!

Parabéns.

Sabrina Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sabrina Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sabrina Machado disse...

só tenho uma coisa a dizer...

se fosse técnica da espanha o Fabregas (lindo) jogaria no lugar do (ruim) Iniesta...rsrs

Prefiro ele mais a frente do q como segundo volante...

bela análise, rafa...

filomeno2006 disse...

Sabrina Machado se fija mucho en las piernas de los futbolistas.....

BlogBlogs.Com.Br