quarta-feira, 21 de maio de 2008

Um conto de bruxas

Por: Thiago Fagnani


Moscou, 21 de maio de 2008.

Era uma vez um time de futebol chamado Chelsea, que foi comprado por um homem, russo, muito rico. Após este fato, o clube inglês deixou de ser apenas um coadjuvante no futebol de seu país, ganhando títulos e respeito, ficando famoso, e temido, no mundo todo. Mas algo estava faltando...

Conquistar o maior título do “idoso” continente era um objetivo, uma missão. Grandes esquadrões foram montados, mas o tão sonhado troféu não vinha. Em 2006, o time perdeu a semi-final, e em 2007, idem!

Chega 2008, um ano com terremotos no planeta todo (inclusive no Brasil), eleições nos EUA, Olimpíadas, Isabella e diversos outros fatos e histórias marcantes. Neste ano, o time azul da Inglaterra foi atrás de novo de seu maior objetivo, e ele parecia estar muito perto. Estava na capital da Rússia.

A gelada terra que um dia dominou metade do mundo foi o berço de um jogo, uma partida, que não consigo encontrar sinônimos para descrever o que ela realmente é: a final da UEFA CHAMPIONS LEAGUE. Claro que quando a bola rola, esta partida fica tão emocionante como qualquer outra decisão que assistimos no Brasil, mas nesse caso, trata-se do torneio que reúne os clubes mais ricos da Terra.

No confronto, Chelsea e Manchester se enfrentaram. A Inglaterra domina a Europa nos gramados, ninguém pode com eles, pelo menos até então. O país que inventou o futebol mostra o ar de sua graça e pede licença para mostrar ao mundo que também sabe montar grandes times. Deve-se observar que o número de jogadores ingleses nas duas equipes que disputaram a final era muito pequeno.

Começo do jogo. Começo do sonho?

Logo no início, os “Diabos Vermelhos” abriram o placar com Cristiano “odiado” Ronaldo, o medo pairou, e a preocupação brotava dos poros da pele de cada torcedor do Chelsea. Será que a noite russa não ia ser boa?

Mas, quando tudo parecia estar perdido, e o sonho de possuir esta taça no saguão de consagrações do Stamford Bridge estava praticamente terminado, Lampard mostrou que isso não ia acontecer, pelo menos não facilmente. Aos 45 minutos da primeira etapa, o jogador marca o tento que poderia levar os Blues a pés da utopia.

Fim de jogo, fim de prorrogação e, como um bom filme iraniano (vide o drama), penalidades decidiriam o maior título interclubes da Europa.

Tudo igual nas cobranças, 2 a 2, quando: o português amado por seu povo e pelos torcedores do Manchester, e odiado por boa parte do mundo, vencedor da chuteira de ouro como maior artilheiro da Europa na temporada 2008, chutou...

Peter Cech, o tcheco defensor da meta Azul defendeu. É agora, não pode ser, o título virá! Após esta cobrança, todos marcaram seus gols, mas aí, chegou a grande hora:

O capitão, jogador com maior identificação com o clube, ídolo supremo de uma torcida sedenta por um título tão importante, se preparou. Juro que reparei em sua face, olhei bem em seus olhos, e percebi uma confiança, sua expressão mostrava que aquele era o seu momento, o momento do Chelsea, e só ele, apenas ele, poderia acabar com essa história e tornar o sonho uma doce e alegre realidade.

Apita o árbitro.Terry corre, como um herói indo de frente para o sua princesa, que conquistou seu amor após derrotar o mais temível dos inimigos, numa árdua batalha, e chutou...

Chovia em Moscou, portanto, a grama ficou molhada, frágil perante a força do pisar deste guerreiro. O infante jogador escorregou. Seu pé esquerdo, o de apoio, parecia ter se afundado em um mar de lama. Suas nádegas? Beijaram o gramado, e a bola, saiu.

Aquilo parecia não estar acontecendo. Começaram as cobranças alternadas e, após a primeira sessão de batidas, Anelka efetuou a cobrança que deu o título da UEFA CHAMPIONS LEAGUE, para o Manchester United. O gigante Van der Sar espalmou, e o sonho, com perdão para o clichê, virou pesadelo, mais uma vez.

E eles, não viveram felizes para sempre.

Imagens: http://www.lancenet.com.br/

4 comentários:

Rafael Zito disse...

Sempre faço comentarios dos assuntos abordados no texto, no entanto, dessa vez vou comentar o texto em si.

Thiago Fagnani: simplesmente espetacular!!! O texto estah mais do q atrativo... leio e releio e parece q fica melhor ainda. Incrivel! Acho q foi o melhor texto q já li no BLOG. Estou anestesiado, extasiado...

PARABÉNS, PARABÉNS, PARABÉNS... Vai ser dificil aparacer algo melhor do q esse texto.

Sabrina Machado disse...

O melhor texto do blog...

PARABÉNS PAL...

sem palavras...

Mais uma vez, texto grande que dá vontade de ler até o fim...

P.S. Cristiano Ronaldo é lindo...neh chefinho???

Victor disse...

Realmente fiquei com pena do Terry.

Parabéns pelo texto garoto!!!

Lucas Renato disse...

Fala, Thiaguinho!!!

Cara, percebe-se que você adora jornalismo literário. Meus parabéns por transformar em história algo que acaba de ocorrer.

E quanto ao Manchester, fico feliz por eles saírem campeões. não seria justo com o Ronaldo ficar marcado por um pênalti perdido.

Abraços do teu companheiro aqui!!

BlogBlogs.Com.Br