segunda-feira, 19 de maio de 2008

4-2-3-1: o esquema do Mano

Por: Rafael ZitoNo início do ano, quando o técnico Mano Menezes começou seu trabalho no Corinthians, todos falavam que o comandante iria aplicar no Alvinegro o mesmo esquema que o levou a final da Libertadores com o Grêmio. No Tricolor gaúcho, Mano utilizava uma linha defensiva com Patrício, Willian, Teco e Lúcio; Lucas e Sandro Goiano como volantes; Tcheco aberto pela direita, Diego Souza armando pelo centro e Carlos Eduardo pela esquerda. No ataque, Tuta ficava centralizado a espera dos cruzamentos para marcar os gols.

No Corinthians, por causa do excesso de contratações e pela cobrança imediata por resultados, o treinador desistiu rapidamente deste sistema e implantou o seguro 3-5-2, tornando o time de Parque São Jorge seguro na defesa, mas, com pouca agressividade, baixo ímpeto ofensivo. Com um time sólido defensivamente o treinador conseguiu levar a equipe a um ótimo 5° lugar no Paulistão, se levarmos em conta toda a transformação que o clube passou da temporada de passada para essa.

Depois da etapa na qual o treinador considerou importante privilegiar o setor defensivo, Mano passou a soltar um pouco mais o time e fez isso pela primeira vez no jogo de volta contra o Goiás, quando o Corinthians precisava reverter uma desvantagem de dois gols. Nesta partida, Mano colocou em prática o seu sistema predileto, foi o primeiro jogo do Corinthians no 4-2-3-1. Com Carlos Alberto, Chicão, Willian e André Santos formando a primeira linha, na seqüência Fabinho e Eduardo Ramos, depois é Lulinha aberto na direita, Diogo Rincon ou Douglas pelo meio e Dentinho aberto pela esquerda, deixando Herrera avançado com o dever de aproveitar as chances que aparecem.

Contra o Botafogo, pela rodada de ida da semifinal da Copa do Brasil, Mano deve colocar Nilton na vaga de Eduardo Ramos, para proteger um pouco mais a defesa, mas, apesar de estar jogando um futebol mais leve, o Corinthians ainda oferece bastante espaço nas costas de Lulinha e Dentinho, já que ambos não ajudam como Tcheco e Carlos Eduardo ajudavam no Grêmio. Esse espaço pelos flancos forçará que o Fabinho e o outro volante se desloquem para os lados, abrindo espaços no meio. Apesar de estar atuando melhor, Mano ainda precisa corrigir essa falha tática. O Botafogo tem uma equipe forte, principalmente pelo lado direito, onde Jorge Henrique promete dar trabalho ao André Santos, que não tem a marcação como forte.

Imagem:
http://www.carloscereto.globolog.com.br/mano.jpg

2 comentários:

Thiago Fagnani disse...

Tinha observado a mesma coisa Rafa!

Parabéns pela análise

Lucas Renato disse...

Fala, Rafa.

Você tem se mostrado um ótimo analisador de táticas.
Primeiro, constrói-se a defesa, certo o Mano, depois vê se as bolas começam a entrar.

Abraços, mano.

BlogBlogs.Com.Br