quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Brasil perde apresentando erros antigos

Por: Rafael Zito

Brasil e Argentina jogaram na noite desta quarta-feira pela segunda fase do Torneio Pré-Olímpico das Américas. A partida apresentava uma situação distinta para as equipes. Os argentinos já classificados, enquanto os brasileiros precisavam, de pelo menos, mais uma vitória nos dois últimos jogos que lhe restavam para garantir a passagem para as semifinais, lembrando que na última rodada, a seleção brasileira enfrenta o Uruguai.

O primeiro tempo do Brasil foi muito bom. Com uma defesa consistente, principalmente em cima do craque Luiz Scola, o quinteto amarelinho conseguiu neutralizar o jogo tático dos hermanos. O técnico Lula, junto com sua comissão técnica, montou uma estratégia defensiva que impediu a rotação ofensiva organizada pelo armador Prigione e pelo ala Delfino, jogadores de confiança do técnico Sérgio Hernandes.

O ponto positivo do jogo de ontem foi a calma que o selecionado brasileiro apresentou em seu ataque. Trabalhando a bola os 24 segundos, sem pressa para decidir, o que fez com que o Brasil realiza-se o que os argentinos melhor sabem fazer, que é travar o jogo, ter o controle da bola em mãos. Deixando de lado um pouco a característica do nosso basquete de transição rápida da defesa para o ataque. Este trabalho mais cadenciado propiciou um bom primeiro tempo, com vitória parcial de 42 a 28. Um ponto a ressaltar foi a falta de combatividade da defesa argentina nos dois primeiros quartos de jogo. Fator que não ocorrerá no sábado, caso as equipes sem enfrentem na semifinal da competição.

No segundo tempo o Brasil voltou a apresentar as mesmos defeitos das últimas competições. Falta de uma boa rotação ofensiva, ansiedade para decidir as jogadas e excesso de individualidade em detrimento ao trabalho coletivo. Todas esses defeitos reapareceram devido a melhora defensiva. Mais determinados na marcação, os argentinos impuseram sua força e equilibraram o duelo. E novamente a melhor organização tática dos hermanos prevaleceu e a precipitação brasileira se fez presente, principalmente com chutes forçados do ala Marcelinho, que pecou no ataque e novamente foi ridículo na defesa, sempre chegando atrasado na marcação frente ao Carlos Delfino, que explorou bem esse defeito do brasileiro.

Os argentinos igualaram o marcador em 71 a 71 e o jogo foi para a prorrogação. No tempo extra, prevaleceu a maior consistência do nosso rival, que teve em Luis Scola seu maior protagonista com 20 pontos anotados. O Brasil não conseguiu manter o ritmo do primeiro tempo e sofreu com erros antigos na segunda etapa. Enquanto isso, os Argentinos mantiveram a calma e souberam recuperar o jogo e conquistar uma vitória merecida. O Brasil não conseguiu vencer o time B da Argentina, que mesmo sendo uma equipe com vários desfalques, consegue apresentar uma melhor organização do que os perdidos do time A da nossa seleção. Assim fica muito difícil adquirir direito de ir para as Olimpíadas de Pequim 2008. Placar final: Argentina 86 x 79 Brasil.


2 comentários:

Thiago Fagnani disse...

Eu garanto:
BRASIL EM PEQUIM 2008!

Lucas Renato disse...

Eu não garanto Brasil em Pequim-08.

BlogBlogs.Com.Br