terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

CBF em liquidação

Por: Melissa de Castro

Ontem a CBF surpreendeu muitos ao reconhecer, finalmente, o Flamengo como Campeão Brasileiro de 1987, título contestado por muitos e que até algumas horas pertencia, oficialmente, ao Sport. O reconhecimento do título do rubro-negro carioca, que agora divide a glória daquele ano com o leão pernambucano, se dá uma semana depois de a Caixa Econômica Federal realizar evento para a entrega da Taça das Bolinhas (troféu criado em 1975 para presentear o clube que alcançasse a façanha de ser campeão três vezes consecutivas ou cinco alternadas) ao São Paulo pelo pentacampeonato conquistado em 2008.



O imbróglio envolvendo o título de 1987 se deu porque naquele ano, os maiores clubes do País se reuniram para realizar a Copa União, diante da negativa da CBF em organizar o Campeonato Brasileiro daquele ano. Os clubes conseguiram patrocinadores e a competição aconteceu. No entanto, a CBF decidiu fazer uma disputa paralela, entre os times que ficaram de fora da seleção da Copa União. A partir daí, a instituição definiu que os dois primeiros colocados de ambos os campeonatos definiriam o título. Pela Copa União, Flamengo e Internacional; pela competição paralela, Sport e Guarani. O clube carioca se negou a participar e, com isso, o Sport foi considerado pela CBF o campeão de 1987 ao vencer o Guarani.



Não é de hoje que as decisões tomadas pela CBF de Ricardo Teixeira não se baseiam em fatos ou argumentos sólidos. São guiadas por interesses da instituição e de seu mandatário, meramente políticas. Dessa vez, com o reconhecimento do Flamengo hexacampeão – decidido em reunião com Patrícia Amorim, presidente do Flamengo, e Ricardo Teixeira -, tudo indica que o grande alicerce motivacional seriam os direitos de transmissão dos Campeonatos Brasileiros a partir de 2012, cujo edital está para ser publicado nos próximos dias.

Rede Globo, Record e Rede TV! disputam a concorrência. Ricardo Teixeira não esconde de ninguém que é a favor da permanência da Globo nas transmissões. O presidente do Clube dos 13, Fabio Koff, apoiado pelo presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, preferem a Record. Com o reconhecimento do Campeonato Brasileiro de 1987 a favor do Flamengo, Ricardo Teixeira adquire mais um aliado na guerra pelos direitos de transmissão e consegue maioria no Clube dos 13 – Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Coritiba, Goiás, Santos, Vasco e Vitória já manifestaram apoio ao cartola máximo do futebol brasileiro. O racha do Clube dos 13 parece iminente.


As decisões políticas de Ricardo Teixeira já começaram a dar o ar da graça no final de 2010. CBF promoveu uma liquidação em seus estoques de títulos, unificando as Taças Brasil e Roberto Gomes Pedrosa e transformando, assim, Santos e Palmeiras nas equipes que mais possuem títulos nacionais, com oito cada um.

Parece que os agrados aos clubes possuem interesse direto em questões de bastidores. Resta saber se o Flamengo se renderá à Taça da Bolinhas e, em agradecimento ao mandatário Ricardo Teixeira pela sua gentileza, o apoiará nas questões internas da instituição. E o Santos? Será que o time da baixada vai reivindicar seu direito sobre a famosa e disputada taça? Afinal, com a unificação dos títulos, o Santos é o primeiro time a conquistar os tais cinco títulos brasileiros. Juvenal Juvêncio terá que parar de “se deliciar” com as bolinhas e devolver o objeto de adoração? E o Sport, está feliz em dividir o título de Campeão Brasileiro de 1987 com o Flamengo? Quais ações serão tomadas pelo clube pernambucano a partir de agora?

Essas e muitas questões ainda procuram por respostas. Algo me diz que depois da decisão dos direitos de transmissão dos Brasileiros de 2012 a 2014 teremos mais surpresas.

Imagens:

1. O Globo
2. Diário de Pernambuco
3. Divulgação/CBF

4 comentários:

Carolina Reis disse...

Era exatamente isso o que eu estava pensando, Mel. Como fica o Santos nessa história? Não sei se eles reivindicarão algo, uma vez que andam ao lado da CBF, mas neste balaio de gato formado, por lógica, essa taça tinha que ser do time da baixada. A verdade é que a CBF se enrolou sozinha numa corda, mas não há união alguma entre os clubes brasileiros para puxá-la e enforcar Ricardo Teixeira e cia.

Corinthians, São Paulo, Flamengo e todos os outros clubes só pensam em si. Mas para Teixeira isso é perfeito; melhor os clubes brigarem entre si do que se unirem para punir a verdadeira errada na história, a CBF.

Parabéns Mel!!

Blog do Pierre disse...

Boa pergunta...como fica o SANTOS nessa história? Se tudo ficar como está agora, o certo é que a Taça das Bolinhas vá para a Vila Belmiro, e é muito estranho o time da baixada até agora não ter se manifestado sobre o assunto.

Isso tudo que vem acontecendo no futebol brasileiro é a consequência de um "general" chamado Ricardo Teixeira, que fez esse rolo todo apenas por interesses políticos. Agora eu quero só ver como vai ficar essa história.

Outra coisa que me veio a cabeça: Quais são as chances da Rede TV! adquirir esses direitos de transmissão? Com tantos gigantes brigando entre si e tantos interesses em jogo, acho que essa chance nem existe.

Parabéns pelo texto, Melissa. Excelente e realista. Vou passar por aqui sempre. ;)

Rafael Zito disse...

A CBF É NEFASTA E NOJENTA!

Infelizmente nosso futebol está nas mãos de safados como Ricardo Teixeira e Andrés Sanchez. Lamentável a presidenta Patrícia Amorim participar dessa sujeira. E não nos enganemos... tenho certeza q esse jogo político do R. Teixeira acontece por pressão da TV Globo, que deve ter ameaçado o dirigente... "Se você não nos ajudar a ficar com a exclusividade voltaremos a mostrar o dossie q temos sobre suas contas em paraísos fiscais". O fato é q tem pressão e sujeira por todos os lados.

Não venho aqui defender a Record, mas a primeira proposta da emissora paulista era bem interessante para o futebol brasileiro. Eles não queriam exclusividade. A proposta era que a Record fizesse transmissões às quintas e domingos e a Globo ficaria com quartas e sábados.

Parabéns pelo primeiro texto... seja bem-vinda Mel!

M@rcello!!! disse...

Não sei porque tanta badalação por essa taça de bolinhas, criada pela Caixa Econômica, e muito depois de Santos e Palmeiras, ganharem no tribunal seus títulos, de fato o Flamengo foi campeão daquele ano, é nítido e notório, a briga entre CBF e São Paulo, não de agora, mas desde quando o São paulo escalou o Sandro Hiroshi no Brasileiro de 98, e com isso o São paulo perdeu pontos, e a vaga nas oitavas para o Botafogo, coisas que a CBF sempre fez bem, para salvar as equipes cariocas, afinal para quem lembra, o Fluminense subiu para primeira divisão, após ser campeão da série C do Brasileirão, coisas que só a querida CBF faz, ou fazer uma Copa João Havelange só para trazer de volta Bahia e Fluminense, e tirar o Gama e o Botafogo-SP do Brasileirão, a CBF ganha força e apoio com tudo isso, dos grandes clubes, mas piores coisas ainda devem estar por vir!!!

BlogBlogs.Com.Br