sábado, 18 de abril de 2009

OPINIÃO!!!!!!

No primeiro jogo da semifinal do Campeonato Paulista, quando o Corinthians venceu o São Paulo, por 2 a 1, o volante Cristian marcou o gol corintiano e saiu em direção da torcida do São Paulo fazendo gestos obscenos. Após o jogo, esse assunto foi debatido em todos os veículos de comunicação e as opiniões são as mais variadas.

Dentro delas apontaram punições esportivas como: suspensão por número de partidas e até por um período de tempo. Até aí a discussão acontecia sem muita polêmica. No entanto, no meio da semana o delegado Antônio Carlos Barbosa instaurou um inquérito policia no qual o jogador estaria sujeito a prisão de 15 dias a seis meses.

Por isso, o Blog Jornalismo Esportivo resolveu colocar este assunto em debate. Além deste caso em específico, a ideia é colocar em discussão as comemorações polêmicas de um modo geral e se é exagero ou não uma comemoração irresponsável virar caso de Polícia. Segue abaixo as opiniões dos integrantes do BlogJE e do convidado especial da semana, o jornalista Pérsio Presotto, inaugurando a seção de convidados do nosso quadro. O nosso convidado desta semana escreve no Blog: http://ppresotto.blogspot.com/

Por: Felipe Simi
Quatro pessoas participaram, na tarde desta sexta-feira, do primeiro julgamento do ‘caso Cristian’ no TJD/SP. João Zanforlim, advogado do Corinthians. Sálvio Spínola, árbitro do clásssico. Antônio Meccia, procurador-geral. E Cristian, o indiciado, que depôs por 20 minutos e saiu calado enquanto Zanforlim e Meccia reuniam-se à parte.

Agora, vamos às versões.

“A intenção dele foi tirar um sarro. Na hora, não percebeu nada porque estava feliz e movido pelas circunstâncias”, disse Zanforlim. Não é o que pensa o vice de futebol do São Paulo Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. “Ele tem que ser punido para que seja estabelecida uma referência de respeito ao público e ao espetáculo.” Já Spínola falou que não relatou o lance na súmula porque não viu nada.

Agora, os vamos aos fatos. Na semana passada, Cristian pôs o Corinthians a um empate da final do estadual paulista. Era um clássico. Pacaembu lotado. 47 minutos do segundo tempo. Qualquer comemoração explosiva nessa circunstância seria perdoável. Mas não a de Cristian. Não com aquele sinal. Não com aquela expressão. A de Cristian, não.

Por: Leandro Miranda
“Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades” (Homem-Aranha). A frase do super-herói pode se aplicar ao “caso Cristian” perfeitamente. Se o volante tem o poder de incendiar a massa corintiana com um gol no último minuto do clássico Majestoso com o Pacaembu lotado – o que não é pouca coisa – deve também estar ciente da responsabilidade que isso acarreta. Com todos os olhos voltados para ele, a última coisa que poderia fazer era ofender a torcida adversária, que era minoria.

O gesto foi feito no calor do momento, em uma comemoração emocionada e explosiva, como não poderia deixar de ter sido. Porém, nada justifica o ato ofensivo de Cristian. Num tempo em que boa parte dos estádios são ocupados por vândalos, e não torcedores, um ato como esse, possível incitante da violência, é no mínimo irresponsável e antidesportivo. Ou seja: passível de punição.

Por: Rafael Zito

Inacreditável como um fato ocorrido no último domingo ainda repercute com tamanha intensidade. Na vitória do Corinthians sobre o São Paulo, por 2 a 1, o volante Cristian fez o gol da vitória e, em plena euforia, extrapolou e fez gestos obscenos em direção a torcida do rival. A atitude do jogador corintiano é recriminável e merece punição.

Entretanto, acredito que o melhor “castigo” para Cristian seria receber um “corretivo” educativo. Personalidades midiáticas precisam saber das responsabilidades dos seus atos, já que gestos agressivos podem estimular brigas e confusões, ainda mais com uma grande parcela de marginais nas arquibancadas. Pessoas irracionais que exacerbam sua paixão através da violência. Uma punição social seria mais proveitosa do que suspendê-lo por número de jogos e por determinado período.

Todo esse assunto se mantém porque, nesta semana, o delegado Antônio Carlos Barbosa instaurou um inquérito no 23º Distrito Policial, no qual o jogador está incluso no artigo 40 da Lei de Contravenções Penais, que prevê prisão de 15 dias a seis meses. A meu ver isso já é um absurdo! Qual o argumento para prender um jogador de futebol que estava exercendo sua profissão? A justiça precisa prender os verdadeiros criminosos que estão soltos e causando terror. Querer tomar uma atitude contra o Cristian é “jogar para a mídia”. Que ele cometeu um erro não há dúvidas, o que preocupa é os responsáveis por garantir a segurança seguem despreparados. É preciso parar de desviar o foco porque, ao menos eu, não sou enganado por atitudes oportunidades que, ao invés de mostrar trabalho, finge que esse trabalho está sendo feito.

Por: Sabrina Machado
Pelé dava o seu famoso soco no ar, era bonito e emocionante, mas infelizmente não vi essa cena ao vivo. Sou do tempo do Bebeto fazendo o gesto de balançar o bebê, em homenagem ao seu filho. Vi o Viola fazendo provocações aos palmeirenses, imitando o porco. O Paulo Nunes, tirando a máscara da “Tiazinha”, ou o lenço da “Feiticeira” do calção. Ronaldo fazendo o número 1 com o dedo.

Daí eu me pergunto: “Os jogadores desaprenderam a comemorar os gols?”. O gesto do Cristian foi feio, desrespeitoso, e não apenas com os torcedores e jogadores são-paulinos, mas com todos que admiram o futebol. Ele devia aprender com o seu companheiro Chicão!

Por: Marcelo Braga
Irresponsável. No tempo das brigas de torcida e dos esforços das autoridades para manter a mínima ordem nos clássicos do futebol, um jogador não pode provocar a torcida como fez o volante.

Pensemos se o caso fosse diferente: se a partida fosse válida por um jogo de várzea ou mesmo da quarta divisão do futebol paulista. Onde a segurança é menor. Se o público invadisse o campo e agredisse alguém, o único responsável seria Cristian. Mas era Série A1, tinha policiamento e estrutura para que nenhuma tragédia acontecesse. Mas poderia ser diferente.

No âmbito esportivo, Cristian merece punição. Se eu fosse um dos juízes do julgamento, aplicaria uma pena mínima de um jogo (caso o Corinthians se classifique) – afinal, ficar fora de uma final de Paulistão jê uma pena enorme. Só para servir de exemplo. Para que os jogadores passem a lembrar que suas ações influenciam o comportamento da torcida.

Por: Pérsio Presotto (convidado especial)

O Cristian foi absolutamente infeliz ao gesticular daquela forma. Ele fez o gol da virada, num clássico importante, de grande rivalidade, numa semifinal de campeonato. Não foi num jogo entre casados e solteiros. E, mesmo que fosse, as chances de causar algum tipo de confusão seriam enormes. Ele, Cristian, tem todo o direito de festejar os gols que faz. Mas é preciso coerência, bom senso e responsabilidade.

Pra que comprar briga, ofender gratuitamente? Será que essa é uma atitude inteligente? Sabe... são perguntas óbvias para nós, mas que ele se recusou a responder para ele mesmo.

Se algum torcedor do São Paulo que esteve no Pacaembu na hora do gesto for a uma delegacia e denunciá-lo por ofensa moral, a situação vai ficar complicada pra ele. Até porque, há provas do fato. O gesto foi mostrado em todo Brasil. É só o sujeito ir lá, apresentar o ingresso para confirmar que foi ao clássico, denunciá-lo e o Cristian ficará encrencado.

Extravasar na hora de comemorar o gol, vá lá! Faz pirueta, dá volta olímpica, faz qualquer coisa. Mas é necessário ter o cuidado para não ultrapassar os limites e não desrespeitar um companheiro de equipe, um jogador rival ou o torcedor, que é o grande e verdadeiro responsável pela manutenção do espetáculo.

Imagem:

7 comentários:

Loucos por F-1 disse...

Não tenho dúvidas nenhuma que o Cristian merece uma punição. Isso é uma falta de respeito com o público e o espetáculo. Não vejo problemas comemorar tirando a camisa ou esbravejando, mas fazer gestos feios para os outros não pode. Merece ser punido sim, mas sem essa história de ser preso, isso é pra bandido.

Abraço!

Leandro Montianele

Rodrigo Gutuzo - Pitacos da Bola disse...

Inquerito policial por isso é ridiculo. Um apunição, até aceitavel.

O calor do jogo provoca isso. A atitude é reprovavel, mas penso que foi dado muito barulho para isso.

Alias, os diretores que hoje falam em "punir pra manter a paz" são os mesmos que vivem dizendo bobagens por ai e apimentando o classico.

Persio Presotto disse...

zito, grato pela oportunidade. abs, pp

Felipe Moraes disse...

Muito legal o panorama e o debate proposto por vocês.
Eu vou na do Rafael: acho que um corretivo já funcionaria.

Abraço,
Felipe Moraes

Carolina disse...

O Roger do gremio no ano passado nao fazia comemoracao semelhante?
A dele era voltada a torcida do gremio em si e nao era percebido como ofensivo pela midia

Almirante disse...

Tudo isso me parece uma tempestade em copo d'agua. Tudo bem que foi ofensivo, mas nada que um corretivo não de jeito. Puni-lo, ao meu ver, seria descabido.Vale lembrar que o gesto de cristhian já foi feito em muitas outras ocasiões e é feito, inavriavelmente, em todos os jogos do Vasco por alguns jogadores, pois é um gesto de reverência à FORÇA JOVEM DO VASCO.

O de Cristhian não tem nada a ver, e imagino que tenha irritado não só a São paulinos, como também a fiel torcida, visto que o gesto simboliza a torcida arqui-rival, Mancha Verde.

cesar disse...

Acho que não tinha nada a ver ele fazer aquele gesto... O gol é para ser comemorado com sua torcida e não provocar a adversária. Agora tbm não adianta levar isso para fora do futebol, não é caso de polícia.

Pior do que isso foi qnd eu vi o Jr Baiano dando banana para a própria torcida qnd jogava no fla.

vlw abs

BlogBlogs.Com.Br