quarta-feira, 18 de março de 2009

Braçadas contra a maré

Por: Marcelo BragaDeu na coluna de Rodrigo Bueno na Folha de São Paulo desta quarta-feira. Andrés Sanchez esteve em reunião do Clube dos 13, na terça-feira, em Brasília. Além de discussões sobre o cadastramento das torcidas organizadas, um dos temas abordados foi a oficialização do papel dos cambistas.

Segue o trecho: O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, foi quem mais falou sobre o assunto."Os ingressos para o jogo do Corinthians com o Santos [domingo] já acabaram. Os cambistas não pagam impostos. O prejuízo é para o governo, pois os clubes venderam seus ingressos. Eu não vejo como acabar com os cambistas e, se não dá para acabar, deveria haver então a oficialização deles."

A declaração do presidente corintiano vai na contramão de tudo o que está se passando no futebol brasileiro. Discussões sobre a praticidade das carteirinhas são válidas e fundamentais, mas questionar a lei que ameaça de prisão aos cambistas, levantando a possibilidade de desistir da luta para ‘tolerá-los’, é ridícula.

É a mesma lógica dos que dizem que a droga deve ser legalizada para que, assim, não exista mais tráfico. Mas a guerra contra as drogas e contra os cambistas não pode acabar. É inadmissível aceitar que o torcedor comum não vá a jogos importantes por perder ingressos para os cambistas. O Governo precisa sim punir estas pessoas, e não pode se limitar a encarceirar os vendedores de porta de estádio. Há muito mais por trás disso. Aqueles que desviam ingressos para estes marginais também precisam ser presos.

E quando o Governo brasileiro finalmente pensa em puni-los, alterando o Estatuto do Torcedor, e prevendo multa e punição de um a dois anos de prisão, o presidente de um dos maiores clubes do País, de importância inquestionável no cenário nacional, dá braçadas contra a maré. Pisou na bola!

Obs: O projeto de lei que altera o Estatuto do Torcedor está em análise no Congresso Nacional

Imagem:

6 comentários:

Felipe Simi disse...

Foi buscar a foto certa, Marcelo!

Dizendo o que disse, tendo em vista a visibilidade do cargo que ocupa, Andrés ajoelhou e rezou a favor uma corja que nunca esteve nem aí para o lado mais fundamental do futebol: o torcedor.

Um abraço e parabéns.

Vinícius Faustini disse...

O presidente do Corínthians só evidenciou o fato mais corriqueiro do futebol brasileiro. Os clubes PRECISAM dos cambistas. Eles todos são favoráveis que venha uma ou duas pessoas e acabe com 30 ingressos por vez.

Coincidentemente, abordei um pouco o assunto no post de hoje. Só que falei mais em torno do tal cadastramento de torcedores que o ministro dos Esportes quer fazer.

Abraços,

Vinícius Faustini

Rafael Zito disse...

novamente o presidente do corinthians mostra q nao tem preparo para ocupar o cargo q ocupa.

Ele já deu amostras q joga unica e exclusivamente para a torcida organizada e, agora, comete o absurdo de pedir para legalização a ação dos cambistas. LAMENTÁVEL.

Pra nosso azar não é só ele q rema contra a maré meu caro Marcelo. A maioria dos dirigentes seguem tratando mal seus torcedores.

Um abraço

Alê M. disse...

Não surpreende, né?
Sanchez não tem biografia. Tem folha corrida.

Amigão do Kia.

Só sobrevive graças ao apoio desse grande CorinthiansPress, que fecha os olhos para tudo de errado que acontece lá pelos lados da Marginal sem número.

Thiago Fagnani disse...

Isso pq o Corinthians tinha pessoas modernas lá dentro!

Sabrina Machado disse...

Mais uma vez o presidente do Corinthians demonstra que ele não faz jus ao cargo que exerce.

Ele não sabe o que é enfrentar fila para ir ao estádio e demorar horas pq os cambistas fazem o que querem.

Legalizar???

Eles são bandidos!

E isso só demonstra que eles precisam desses bandidos...

Boa pauta, Marcelo...

BlogBlogs.Com.Br