sábado, 23 de agosto de 2008

Sábado de sol

Por: Felipe Simi

Na China, a manhã de hoje rendeu mais duas medalhas ao Brasil.


Sobre os colchões do taekwondo, a paranaense Natália Falavigna lutou quatro vezes, venceu três e deixou o Ginásio da Universidade Ciência e Tecnologia de Pequim com um bronze inédito no peito.

Enquanto isso, na quadra do Ginásio Capital...

“A cor da nossa medalha é amarela, sim. Mas é amarelo de ouro!”
José Roberto Guimarães, técnico

“Agora, vão ter que nos aplaudir de pé!”
Mari, atacante

“Não podia esperar coisa melhor. Vou parar, mas não quero pensar nisso agora...”
Fofão, levantadora

“O grupo todo merecia muito isso.”
Sheilla, oposto

3 x 1. Foi assim, com parciais de 25/15, 18/25, 25/13 e 25/21, que a seleção brasileira feminina de vôlei conquistou o ouro olímpico pela primeira vez na história. De alma lavada – afinal, desde os últimos Jogos na Grécia, em 2004, o time lutava contra a desconfiança nacional -, técnico e jogadoras riam, berravam e choravam emocionados. A pressão acabou.

E, com ela, vão-se também os Jogos Olímpicos.


Imagens: Reuters e EFE

5 comentários:

Rafael Zito disse...

Grande Felipe Simi....

É meu caro jah acertei em uma. Agora espero errar no meu outro prognostico!

Essas mulheres deram um show de bola. Consegui mexer com os brios delas, neh sá? hahaha.

Desde o Grand Prix essa seleção mostrava força e conseguiu comprovar em quadra o q dela se esperava. PARABENS!!! Saudações ao técnico José Roberto Guimaraes, único treinador campeão olímpico comandando homens e mulheres.

Natalia Falavigna tb merece e mto nossos cumprimentos. Mais uma vitoriosa em um esporte pouco fomentado no nosso País.

Lucas Renato disse...

E aí, mano!!

Segura, daqui a pouco é a vez dos homens abocanharem um ourinho. Seria demais.

Ouro garantindo tem nosso blog ao longo dessas duas semanas. Vai deixar saudade.

Abs a todos

Daniel Leite disse...

Grande desempenho das meninas do vôlei. É impressionante uma equipe que vence 24 sets e perde apenas um. É também surpreendente a força psicológica do time, comandado pelo brilhante José Roberto Guimarães, que em termos olímpicos é inigualável.

Ficam também as congratulações ao time masculino. Ganhar tudo não é algo simples, e uma medalha de prata jamais deixará de ser um grande resultado.

Até mais!

Sabrina Machado disse...

O pedido de silêncio que Mari fez ao final da partida foi a maior demonstração depois da medalha de que ngm mais podia duvidar da capacidade dessas meninas.

Marcada por ser o símbolo da geração amarela de vôlei, Mari demonstrou que é uma das melhores jogadoras dessa seleção, e mesmo com a dificuldade durante a partida, não deixou a bola cair. Sinceramente fazia tempo que não via um jogo que só sacavam na mesma jogadora...

Parabéns, meninas...vc emocionaram todo o Brasil com garra, força de vontade, competência e mais do que td espírito de campeãs...

Grande Zé Roberto...

É OURO
É OURO

Dois ouros femininos para o Brasil e um masculino...as mulheres brasileiras dominaram...não é mesmo, rafa??

bjos, simi

Thiago Fagnani disse...

O Volêi feminino mostrou uma superioridade nunca vista antes!

Foi emocionante esta campanha, elas FELIZMENTE calaram a boca de muita gente!!

Sobre a Falavigna, prefiro não falar muito, senão posso me emocionar!

BlogBlogs.Com.Br