quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Bronze com emoção e superação

Por: Rafael ZitoÀ noite de quarta-feira foi especial para o esporte brasileiro. Com a marca de 47s67 o nadador César Cielo Filho conquistou a medalha de bronze na prova nobre da natação, os 100m livre. Classificado com apenas o oitavo tempo, a expectativa sobre o brasileiro não era das melhores, porém, Cielo se superou e trouxe a quarta medalha para o Brasil, a quarta de bronze. O campeão olímpico da prova foi o francês Alain Bernard, com 47s21, seguido pelo australiano e recordista mundial Eamon Sullivan, com 47s32. Sullivan quebrou o recorde na semifinal, no entanto, na final não conseguiu repetir o tempo de 47s05.

O resultado foi impressionante para o nosso esporte e reviveu os bons tempos de Gustavo Borges, especialista na prova e medalhista de prata, em Barcelona 1992; e bronze, em Atlanta 1996. Depois da prova, Cielo deu uma declaração mostrando toda a sua confiança para a seqüência da competição, já que ainda disputaria os 50m livre, sua especialidade. “Agora vou ganhar os 50m. Vou buscar esse ouro nos 50m livre”. Na manhã desta quinta-feira, o brasileiro participou das eliminatórias da sua prova preferida e cravou o segundo melhor tempo da série, que por alguns instantes foi o recorde olímpico, quebrado na seqüência pelo francês Amaury Leveaux, que registrou o tempo de 21s46, superando Cielo em apenas um centésimo, pois o brasileiro fez 21s47. Agora é esperar as semifinais e finais para saber se o brasileiro conseguirá trocar a cor da medalha, um outro bronze ou se frustrará as expectativas.

Ainda na natação, a quinta-feira registrou a participação de Thiago Pereira nas semifinais dos 200m medley. O brasileiro ficou com o terceiro melhor tempo, atrás apenas do estadunidense Ryan Lochte, com 1min57s69, do fenômeno Michael Phelps, com 1min57s70. A briga de Thiago será pelo bronze e contra o húngaro Laszlo Cseh, que cravou a quarta melhor marca com 1min58s19, contra 1min58s06 de Thiago Pereira. Um resultado abaixo da quarta colocação seria um fracasso para o brasileiro.

No judô, a jornada não foi das melhores com as derrotas logo na primeira rodada do atual campeão mundial Luciano Corrêa de da judoca Edinanci Silva. Luciano perdeu para o holandês Henk Grol, por ippon, enquanto que Edinanci foi superada pela espanhola Esther San Miguel, por wasari. No voleibol, a seleção masculina perdeu para a Rússia de virada por 3 sets a 1, com parciais de 22/25, 26/24, 31/29 e 25/19. Na praia, as duplas formadas por Márcio e Fábio Luiz e Renata e Talita venceram. Os homens bateram a dupla da Rússia formada por Barsouk e Kolodinsky, por 2 sets a 0, com parciais de 24/22 e 21/17. Já as mulheres superaram as gregas Karantasiou e Arvaniti, também por 2 a 0, com parciais de 22/20 e 21/19.

Nesta madrugada de quinta para sexta-feira, o Brasil estará em ação na natação, com Thiago Pereira, na final dos 200m medley, no vôlei feminino e com o judoca João Gabriel Schlittler, última chance de medalha no esporte que se encerra nesta madrugada. Nesta sexta-feira é a vez de Lucas Renato trazer as informações sobre o dia em Pequim. Espero que traga boas informações para o esporte brasileiro.

Imagem:
Satiro Sodré/CBDA

4 comentários:

Lucas Renato disse...

Olá, Rafa.

Legal ver a atuação do Cielo, ele ganhou o meu respeito. Como nadou. Que legal.

Agora te pergunto: o que me diz de Roger Federer?????? Não merece tomar uns tapas pra ver se acorda??

Abraços, até amanhã.

Thiago Fagnani disse...

Sabia que ele faturar uma medalha!!
Admito que desanimei um pouco quando ele foi para final com o oitavo tempo, mas na final, ele FELIZMENTE, calou minha boca!!

Outro recado:

VAI THIAAAAGO!!!
Mais um:

MAIS UMA VEZ CIELOOOOOO

Ribamar Xavier disse...

Cielo, por enquanto é o nome brasileiro na Olímpiada. Que venha o ouro nos 50 m livres. Abraço a toda equipe do blog.

Felipe Simi disse...

Não sei se nossos leitores vão se lembrar, mas, há poucas semanas, antes de os Jogos começarem, nós criticamos o assédio da mídia sobre Thiago Pereira.

Dissemos que outros nadadores tão talentosos quanto, como Cielo, estavam sendo preteridos.

Pois é. Deu no que deu.

E Cielo, agora, pode voltar de Pequim como herói.

Um abraço, Zito.

BlogBlogs.Com.Br