terça-feira, 1 de julho de 2008

Fluminense x LDU: O jogo mais importante da história

Por: Rafael Zito

Nesta quarta-feira, 2 de julho, é o grande dia, o jogo mais importante da história do Fluminense. Não tenho dúvidas que o Maracanã estará lindo e a festa da torcida ‘Tricolor’ promete ser a principal arma da equipe comandada pelo técnico Renato Gaúcho em busca do título inédito da Copa Libertadores da América. Quantas torcidas e clubes brasileiros gostariam de viver esse grande momento. O título da maior relevância da América!

Assim como muitos, não vejo a hora de assistir a esse grande jogo. Porém, tem uma coisa que vem incomodando bastante na cobertura dessa partida. Gostaria de questionar a mídia brasileira se estão sabendo qual o adversário do Fluminense? A pergunta é pertinente porque na minha opinião a LDU tem sido menosprezada pelos veículos de comunicação. Ninguém dúvida da força do Fluminense, ninguém contesta o fato de time brasileiro ter conseguido proezas nessa edição da Libertadores. Eliminar São Paulo e Boca Juniors não é para poucos. Entretanto, para colocar a mão na taça os brasileiros terão de vencer os equatorianos, que conseguiram uma bela vantagem, após vitória de 4 a 2, no estádio Casablanca, em Quito.

A LDU é forte e merece todo o respeito que a ela não está sendo dado. O time equatoriano não chegou a essa final por acaso. Jogadores como Ambrosi, Guerron, Bolaños, Manso e Bieler levaram a LDU para a final e, assim como para o Fluminense, também é o jogo mais importante da história do clube equatoriano. Apesar de considerar o goleiro Cevallos não muito seguro, acredito que as duas linhas de quatro que o técnico Edgardo Bauza montará pode complicar o Fluminense. A LDU pode até sentir a pressão de uma grande final, inclusive, do Maracanã abarrotado e da inexperiência de seus jogadores em decisão. Mas, acredito que se tudo caminhar na normalidade o time de Quito tem 60% de chances contra 40% do Fluminense.

As estratégias da decisão:

Fluminense: Primeiramente acredito que Renato Gaúcho deva manter os titulares que enfrentaram a LDU, em Quito. No entanto, o esquema precisa ser modificado. Cícero precisa deixar de ser o segundo volante para ser o companheiro de Washington no ataque. A chave da vitória para o Flu está nos pés dos meias Thiago Neves e dos laterais Junior César e Gabriel. Avançar a marcação, pressão e intensidade. Jogar pelo lado esquerdo da defesa da LDU pode ser o caminho da vitória.

LDU: O time equatoriano sairá vencedor do Maracanã se conseguir o discernimento do momento em que precisa explorar os contra-ataques, com Guerron, pela direita, e Bieler, no ataque; da ocasião em que a troca de passes e o jogo cadenciado for a melhor opção. Para controlar o jogo a bola precisará passar pelos pés de Manso e Bolaños.

5 comentários:

Thiago Fagnani disse...

A mídia vai menosprexar mesmo, naum tem jeito!

O importante é o Fluzão não se deixar levar por isso, e jogar essa partida com garra e força que esta merece.

Felipe Simi disse...

Olha, Zito, é uma final de Libertadores, sim - qual o amante de futebol, como nós, não trocaria tudo p/ ver uma, mesmo que nosso time não esteja nela? - mas, particularmente, não tenho razões p/ ver a deste ano...

E depois, fico imaginando as manchetes em dezembro: "De olho no Manchester United, Flu/ LDU treina no Japão pela 1ª vez na história"

Desculpe, mas não dá. Libertadores e Mundial são sinônimos de tradição internacional. E tradição internacional é um predicado que passa longe tanto das Laranjeiras quanto de Casa Blanca.

Um abraço, Zito.

Diego Mesquita / disse...

O prognóstico desta partida me parece muito simples.

LDU: Se jogar se defendendo tão somente, o Fluminense sagra-se campeão. Está provado que não sabem se defender. A vocação dos equatorianos é atacar!

Diego Mesquita / disse...

A propósito... tenho um blog também e gostaria de saber se há interesse numa troca de links.


Desde já, obrigado.

gerson disse...

Rafael, valeu a visita ao limpo no lance!Espero que tenhas gostado.
Quanto aos times do RS na série C, o Inter SM vem fraco para a competição. O Caxias, pela estrutura profissional que tem é o mais forte.
O Brasil estava com um grupo de 26 jogadores, mas perdeu Ronaldo Capixaba para o ABC de Natal. O técnico é Itamar Schulle, que treinou o São Luiz de Ijuí no Gauchão.
O Brasil fez uma boa temporada em SC. Empatou com o Atlético PR B e venceu o Joinville. Só que começou mal a série C. Empatou em casa com o Metropolitano de Blumenau.
O Brasil era considerado um dos favoritos no grupo, mas agora terá que buscar pontos fora de casa.
Quarta tem Caxias e Brasil na serra. O Brasil tem q buscar ao menos um ponto.
No domingo espero estar em Pelotas para assistir ao jogo contra o J. Malucelli. Aí poderei te passar maiores informações.
Abraço

BlogBlogs.Com.Br