quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Será o fim da hegemonia?

Por: Rafael ZitoNas últimas cinco edições da Superliga Feminina de Vôlei apenas duas equipes se revezaram com o troféu. Nestas edições, somente Finasa/Osasco e Rexona/Ades conquistaram o tão almejado título do campeonato brasileiro de vôlei. Na temporada 2002/03 o título ficou em Osasco, com o antigo BCN, atual Finasa. Nos dois anos subseqüentes o troféu permaneceu na cidade, com o bicampeonato do Finasa, nas temporadas de 2003/04 e 2004/05. Nestas duas últimas temporadas, o Finasa era comandado pelo técnico José Roberto Guimarães, atual técnico da seleção brasileira.

Após o tricampeonato, o Finasa já se preparava para comemorar o tetra. Porém, a partir de 2005 ressurgiu o Rexona, bicampeão da Superliga nas temporadas de 1997/98 e 1999/00. Nos dois títulos conquistados, o Rexona tinha sede em Curitiba, mas, esta nova versão da equipe teve uma mudança de região. Desde 2005 o clube se instalou no Rio de Janeiro e voltou a ser comandado pelo técnico Bernardinho, atual técnico da seleção masculina de vôlei. Com Fernanda Venturini comandando a equipe, o Rexona/Rio de Janeiro chegou ao topo do pódio nas duas últimas edições da competição, em finais dificílimas contra o Finasa.

A última equipe que conseguiu um título da competição nacional de maior importância sem ser Finasa e Rexona foi o MRV/Minas, na temporada de 2001/02. De lá para cá, antes mesmo da competição começar já sabido que a final será entre Osasco e Rio de Janeiro. As últimas quatro temporadas são prova disso, onde quando uma equipe ganhava a outra era, obrigatoriamente, a vice.

Para a temporada de 2008/09 surge uma equipe com o objetivo realista de tentar quebrar essa hegemonia reinante no voleibol feminino. A equipe do São Caetano/Blausiegel conseguiu repatriar três jogadoras da seleção brasileira, campeãs olímpicas, que estavam atuando no voleibol italiano. A levantadora Fofão, a ponteira Mari e a oposto Sheilla farão parte da equipe que tentará desbancar Finasa, do técnico Luizomar de Moura, e o Rexona, de Bernandinho. A equipe do São Caetano será comandada pelo técnico Antônio Rizolla.

A Superliga Feminina terá início no próximo dia 16 e outubro. A partir de então veremos se a hegemonia do voleibol feminino será mantida ou se o São Caetano conseguirá, com o reforço das campeãs olímpicas, desbancar Rexona e Finasa. Para este temporada, o Finasa conta com Thaisa, Sassá e Paula Pequeno como destaques, já o Rexona terá Joycinha, Carol Gattaz, Dani Lins e Regiane, como principais nomes. Depois do título olímpico, o voleibol feminino será o grande foco e precisamos dar um pouco mais de atenção para nossas competições internas. Que venha a Superliga 2008/09.

Imagens:
www.digiforum.com.br
UOL Esporte - Sheilla e Mari (Foto 2)
Lancenet - Fofão (Foto 3)

5 comentários:

Lucas Renato disse...

É, Rafa, o Bernardinho já falou que não comandará clube e seleção. Então, fica mais difícil pro Rexona.

E o Osasco sempre foi forte, então acredito nessa equipe agora. Um forte abraço.

Juan disse...

Possíbelmente sexa o fim da hegemonia.

Um saúdo.
http://marcador-deportivo.blogspot.com/

Maldita Futebol Clube disse...

Acho dificil tirarem os títulos do Bernardinho! Mas, que surjam novas equipes e que o volei se popualrize ainda mais, afinal é bem gerido , temos ótimas atletas e qualidade!

Thiago Fagnani disse...

Não sei quem vai ser campeão, mas sei que o Vôlei feminino será o esporte da vez no Brasil!!!

Sabrina Machado disse...

Osasco...Sempre Osasco...rsrs

Eu li o texto, viu...rafa

Parabéns pelas colocações...eu não sabia dessa informação sobre São Caetano...

bjos

P.S. HEGEMONIA É DO OSASCO...

PAULA PEQUENO É NOSSA MAGA...RSRSRS

BlogBlogs.Com.Br